domingo, 26 de dezembro de 2010

Esse é o Coral Koinonia...

Cantando ao Senhor...

E Jesus nasceu hoje nestes 4 corações...

Obrigado Senhor pela Igreja que nos destes para pastorear!!!
video
Esse é o Grupo de Coreografia Kairós. Usamos como método de envagelização. Essa apresentação foi no culto de Nata. "Jesus te chama, Jesus te e quer te salvar..." Diz a letra da música.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Mutirão na Casa Comunitária

Graças a Deus começamos nossa reforma.

Todos trabalhando, e também ligando para convidar outros
para ajudar no mutirão.





Em breve nossa CASA COMUNITÁRIA ESTARÁ PRONTA.

Dia da Biblia em Lapão

Esse é o COPEL - Conselho de Pastores, Presbíteros e
Evangelistas em Lapão - BA 

O povo de Deus ouvindo a sua Palavra.

Eu (Pr Daniel) falando sobre a Bíblia
e a história da comemoração do dia da Bíblia.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Meu Deus... Até quando?!

A bebida está rolando solta entre a moçada!!! Não é difícil ouvir comentários sobre o consumo de álcool por jovens, às claras sem subterfúgios, em bares próximos às escolas, no intervalo das aulas nas praças.
A sociedade adota atitudes paradoxais frente ao tema: por um lado condena o abuso de álcool pelos jovens, mas é tipicamente permissiva ao estímulo do consumo. O problema do alcoolismo é um grande tabu, mas quando se trata de crianças e adolescentes, a situação é mais complicada e delicada ainda. O assunto é um problema social e deve ser debatido por todos os membros da sociedade.
Uma pesquisa realizada em todo o Estado de São Paulo mostrou que metade dos estudantes entre 10 e 12 anos, já fizeram uso de bebidas alcoólicas e, na grande maioria, com apoio ou exemplo dos pais. A família precisa ficar atenta como a bebida é apresentada aos filhos. Muitas vezes, os próprios pais é que oferecem a bebida, e acham isso algo normal e interessante. E essa realidade paulistana não é diferente da realidade lapoense.
Só para você ter uma idéia de como o problema é sério, hoje quase metade dos jovens com idade entre 12 e 17 anos já bebeu; enquanto lá nos anos 80, o consumo se iniciava entre os 16 e 17 anos. Não podemos esquecer também, que os crimes provocados pelo uso do álcool cresceram de forma assustadora. Quando fiz o tema desta reflexão, fiquei pensando no que tenho feito para mudar essa realidade. Até quando olharemos e diremos que é coisa normal de adolescente? Enquanto isso eles vão se perdendo, cometendo crimes, etc. Até quando ficaremos de braços cruzados vendo nossa juventude se perdendo? Isso não é somente responsabilidade das autoridades, que precisam melhorar e muito a fiscalização, a prevenção, isso é dever de todos nós. Parafraseando o slogan do combate a Dengue: “Combater o alcoolismo entre os jovens, é um dever meu, seu e de todos nós”.
Vamos juntos mudar essa realidade, que também é responsabilidade sua.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Pedido de Oração

Missionária Renata e CAL

Gostaria de pedir que estivessem orando por CAL. Ele foi o primeiro que aceitou a Jesus com o projeto de plantação de Igreja aqui em Lapão. E na segunda eu o levei para um Centro de Recuperação. Na triagem ele afirmou que estava usando álcool, maconha, cola e outras coisas mais. Ele hoje tem 2 filhos e sua esposa esta grávida e ganhará um neném no próximo mês. Temos também que conseguir uma cesta básica para 9 meses. Se você puder ajudar mande um e-mail para dacanil@bol.com.br.
Por favor, ore por ele. Pr. Daniel Alto

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Meu amor e eu!!!

Pr Márcio. Diretor de Ministério da RTM

Wesley e Marlene

Luiz Sayão

Palestra de Luis Sayão sobre o livro de Rute.

Orando pela Diretoria do RTM

Ursula e meu amor!!! 


domingo, 7 de novembro de 2010

As 2 mulheres da minha vida: Daniely e Renata

sábado, 6 de novembro de 2010

Abrimos as portas para a reunião da Avon em nossa igreja.

Uma ótima oportunidade para conhecerem a Igreja.

E abrir as possibilidades para ouvir o evangelho!!!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

CASA COMUNITÁRIA

DESEJO QUE A PAZ DE CRISTO ESTEJA SOBRE SUA VIDA E FAMÍLIA!!!
         Sou pastor Daniel Alto missionário da Convenção Batista Baiana. Trabalhamos com Plantação da Igreja aqui em Lapão-Bahia, e a Denominamos “Primeira Igreja Batista em Lapão Jesus Transforma”. Conseguimos pela Graça de Deus comprar uma casa dentro da Comunidade Ida Cardoso, Comunidade onde trabalhamos. Esta casa será um Centro Comunitário, onde teremos:
1) Alfabetização para Jovens e Adultos;
2) Cursos Profissionalizantes;
3) Inclusão digital;
4) Fabricação de Artesanato para ser vendido (perfumes; pinturas, etc.)
5) Estamos buscando meios de orientar os pequenos produtores, com projetos de beneficiamento de tomates, cebolas, cenouras e beterrabas.

Agora vamos reformar essa casa e estruturar com cadeiras, quadros, mesas, etc. Marcamos para os dias 04 e 05/12/2010 o mutirão para a reformar da nossa CASA COMUNITÁRIA. Ore e participe, ainda precisamos da estrutura como cadeiras, mesas, filtros, quadros, etc.

O desafio da Convenção Batista Baiana é alcançarmos todos os municípios com a presença de uma Igreja que proclame com ousadia a mensagem do Evangelho de Cristo. Para isso junte-se a nós, com o Plano de Adoção Missionária. Ore e participe.

EKKLESÍA UMA COMUNIDADE DE CRISTÃOS?

Pensando na fundamentação bíblico-teológica para a Igreja, também na etimologia - no Latim: ecclesia -, assembléia do povo, Igreja - no Grego: ekklesía, assembléia. Igreja pode designar reunião de pessoas, sem estar necessariamente associada a uma edificação ou a uma doutrina específica. No texto bíblico do Novo Testamento, a palavra Igreja aparece por diversas vezes, onde é utilizada como referência a um grupamento de cristãos e não a edificações ou templos, nem mesmo a toda comunidade cristã.
É composta de todos os crentes em Jesus Cristo. É formada por todos os eleitos de Deus, por todos os homens e mulheres convertidos. Nesta Igreja não há diferença entre judeu e grego, negro e branco, mas a fé em Jesus Cristo é que é tudo.
Na Confissão Bélgica está escrito que a Igreja “É a santa congregação dos verdadeiros crentes em Cristo”, enquanto isso na II Confissão Helvética diz “É a companhia dos fiéis chamados e retirados do mundo” e na Confissão de Westminster “O número total dos eleitos que têm sido e serão reunidos em um”.
Para os protestantes a Igreja é santa por causa da união com Cristo, por causa do alvo da vida dos crentes, porque os crentes são separados para servir a Deus e por causa da presença do Espírito Santo, o Pacto de Lausanne fala que a Igreja não é uma institucionalização.
Existem dois extremos que marcam a percepção da Igreja, uma é que pertencendo a Igreja invisível pode-se abandonar a Igreja visível ou local, não fazendo parte da comunhão da Igreja local, e o outro extremo, é achar que a Igreja local ou visível é a única Igreja correta, assim Landers diz:

(...) uma visão da Igreja como uma realidade espiritual, acima de qualquer manifestação local, eleva a visão da própria Igreja local. Enquanto a igreja é uma organização entre várias, do ponto de vista sociológico, ela também é uma manifestação, embora imperfeita, de uma realidade espiritual que transcende o nível meramente organizacional[1].

Lutero distinguia Kirche que é a instituição, a pessoa jurídica da igreja e Gemandi que é a comunidade, a comunhão dos santos. Apesar da distinção, Lutero afirmava que ambas são inseparáveis, que o Kirche somente tem razão de ser e existir na Gemandi. Para Calvino a Igreja é o lugar onde se prega e onde os sacramentos são administrados corretamente. Para ele Igreja invisível é o corpo dos predestinados            e a Igreja visível é uma situação de emergência, uma adaptação de Deus à fraqueza humana. Uma criação de emergência de Deus.
Como será que o Senhor olha para a Sua igreja nos dias atuais? A igreja tem sido um modelo denunciador? Ela tem irritado aqueles que se sentem acusados pela sua postura ética com relação ao outro? A igreja tem dado ao mundo o senso de responsabilidade moral? “Paulo disse: mas todos aqueles que quiserem viver justa e piedosamente sofrerão perseguições”. A igreja tem vivido de forma justa e piedosa?
Toda igreja, comunidade, etc. precisa de dogmas, é uma necessidade para existência desse grupo ou igreja. Assim como o dogma é uma resposta as perguntas geradas pela comunidade, da mesma forma esse dogma precisa ter uma flexibilidade. A igreja precisa estar preparada para dialogar com a comunidade, e transformar os seus dogmas de forma que a comunidade veja o posicionamento dela. Assim como tudo depende única e exclusivamente da forma que é usada, a comunidade entende o que é correto, será bom, se usar a forma errada, será prejudicial tanto para a comunidade como para própria igreja.
O evangelho tem passado por tantas mudanças que nos leva a questionar se a igreja de Jesus está atuando como Ele gostaria que fosse feito. Não é difícil para nós sabermos a resposta. Basta compararmos o comportamento da igreja atual com os ensinos de Jesus e dos apóstolos. Os problemas também perpassam pelas questões étnicas, que muitos erradamente chamam de raciais. O cenário mundial encontrado é a minimização do outro, como a outra etnia é inferior, a outra religião é do diabo, e transforma-se em um campo de batalha que tem como ponto de partida o fundamentalismo. Não Matarás! Matar significa negar a dimensão infinita do Outro lhe reduzindo a um mero “ente” do mundo. E pode-se matar de várias formas o outro, não dando a possibilidade de voz, marginalizando-o, minimizando o outro a percentagens, a números, etc.
Na Igreja todas as distinções de etnia e civis são anuladas, Gl 1.3 Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo, e Gl 3.28 Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. Esta unidade da Igreja não é externa, consistindo em crença intelectual ou em forma de governo, mas é totalmente espiritual, o resultado do poder unificador do Espírito Santo, Jo 17.21 “para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste”, Rm 12.5 “assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros”, e Ef 4.13 “até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo”.
            O pecado não é somente o que estereotipamos, mas também está nos sistemas sociais, econômicos e políticos. Não podemos pensar em uma batalha carismática que faz uma demonstração do espetacular, batalha do poder humano, a luta é para ser enfrentado eticamente, precisamos evidenciar o espiritual, mas não devemos negligenciar o ser humano holístico. Podemos aprender com a ética de Cristo, redescobrir o Reino e a utopia do evangelho, transpassando as paredes da casa e da Igreja.
Buber explorou a aplicação do método de "eu e tu", a que chamou "princípio dialogal", aos problemas da comunidade e da educação. Utilizou o mesmo método na interpretação da Bíblia, vendo a ligação entre Deus e Israel como exemplo dessa “relação dialogal”: a fé é um diálogo entre Deus e o homem. Deus se manifesta ao homem e este se apropria da palavra de Deus.
Uma pergunta que fica é, porque os estados brasileiro onde mais se ouvem falar em violência, são os estados com o maior percentual de evangélicos? Tais como o Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo? Não podemos somente dizer que somos agentes de transformação, isso é uma redundância exponencial, precisamos acabar com os slogans e fazer valer o direito do outro, faze valer a utopia do evangelho.

A transferência de riqueza desigualitária neoliberalista de uma globalização excludente, e políticas em falência que não vão solucionar esse problema de transferência. A pregação da utopia do evangelho minimiza a desigualdade da sociedade, por que o cerne dessa utopia é a eqüidade.
Se a adoração não nos impulsionar para maior obediência, ela não é adoração. Assim como a adoração começa em santa expectação, ela termina em santa obediência.
Precisamos resgatar a utopia do evangelho, ser sacudido pela movimentação da alteridade, movidos pelo amor ao próximo, pois o próximo também é feitura das mãos do Criador. Por isso, a Igreja do século XXI precisa aprender a valorizar o outro, mesmo que o outro pense diferente de mim, tenha uma outra etnia, seja de outra classe social, mesmo que o outro seja de uma outra religião. Através do diálogo poderemos vivenciar o Reino de Deus.




[1] LANDERS, 1987. pág 81

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Dia das Crianças em nossa Igreja!!!

Dia das Crianças com muita brincadeira...

muito presente...

e com muita alegria.  Na nossa Escola Bíblica com Lanche.

Passeio do dia das Crianças com as Igrejas Locais

Local muito bom. 4 Igrejas presentes.

Olha Renata com Dany brincando. 

Três pastores em Lapão: Almeida, Luciano e eu,
o mais bonito é claro. rsrsr